Qual a diferença de uma escola internacional para a bilíngue?

Falar Inglês é imprescindível nos dias de hoje, pois a globalização faz com que se torne algo fundamental. O inglês é a língua internacional, a língua dos estudos, das viagens, dos negócios, a língua da comunicação com pessoas do mundo todo, seja qual for seu país de origem. Tanto social quanto profissionalmente, o domínio de outra língua é considerado um fator importante para a conquista de espaço no mercado de trabalho. Por essa razão, as escolas bilíngues e internacionais têm sido cada vez mais procuradas.

A escolha dos pais pela escola de um filho nunca é fácil. São detalhes demais: localização, valor do investimento, metodologia, filosofia, entre outros. Mas se esse for o caso, como escolher entre uma escola internacional ou bilíngue? São muitas as diferenças entre as duas.

Primeiramente, vamos falar de currículo: assim como a BNCC é a base curricular brasileira, cada país tem a sua base curricular. Se falarmos dos Estados Unidos, cada estado tem a sua base curricular, chamada de Common Core State Standards Initiative. As escolas particulares dos Estados Unidos são isentas de usarem o Common Core, mas como os testes para admissão nas faculdades, o SAT (Scholastic Aptitude Test) e o ACT (American College Testing) são influenciados pelo Common Core, elas acabam usando.

As escolas internacionais seguem um currículo internacional, que não abrange exatamente aquilo que é pedido para o ENEM e o Vestibular no Brasil. Mais de 90% das aulas são ministradas na língua inglesa, e em Português são oferecidas a aula da Língua Portuguesa e a aula de Estudos Sociais Brasileiros, e às vezes História do Brasil.

Já na escola bilíngue, adota-se os dois currículos: o internacional e o nacional. Isso quer dizer que os alunos têm algumas disciplinas que são ensinadas nos dois idiomas, por exemplo: os alunos fazem aulas de Matemática e de Math. Nesse caso a escola é bicurricular, com os currículos nacional e internacional acontecendo em paralelo, o que quer dizer que os alunos, em alguns momentos, aprendem em Português a mesma coisa que aprendem em Inglês. Em escolas bilíngues as crianças leem autores brasileiros e internacionais, uma vez que, em geral, no ensino bilíngue o dia é dividido em dois.

Algumas instituições, como a Brazilian International School, oferecem os dois currículos, mas mesmo assim, não é uma escola bicurricular. O Brazilian International School não repete todas as disciplinas, e as que são repetidas, como History e Geography, não ensinam o mesmo conteúdo nos dois currículos. O Brazilian International School é uma escola bilíngue, mas com um alinhamento feito entre os currículos nacional e internacional, que se unem para formar um currículo norteador único.

Na escola internacional, o calendário escolar adotado é o do país do idioma dominante, nesse caso o Inglês, e o ano letivo começa em Agosto de um ano e acaba em Junho do ano seguinte. Na escola bilíngue, o calendário adotado é o brasileiro, com aulas começando em Fevereiro, com término em Dezembro.

Uma outra característica da escola internacional é que seus professores são na grande maioria expatriados, e sua língua nativa é o Inglês. Nas escolas bilíngues os professores são brasileiros, fluentes na língua inglesa, com vivência no exterior, e certificados internacionalmente. Na escola bilíngue a preocupação é que os alunos se tornem proficientes na língua inglesa para que possam se comunicar não apenas com os nativos, mas com todos os que falam inglês como língua franca. O Brazilian International School tem como propósito que seus alunos entendam todo e qualquer sotaque sem nenhuma dificuldade.

Em escolas bilíngues, as atividades extracurriculares, como as voltadas para cultura e esporte, ocorrem em idioma estrangeiro. Pelo menos 40% do tempo de aula deve ser ministrado na língua alvo, nesse caso, Inglês, para que uma escola seja considerada bilíngue por estudiosos como o Canadense Roy Lyster, por exemplo. Sem uma porcentagem de aulas mínima, a imersão no idioma alvo não pode ser caracterizado. Por isso, muitas escolas que oferecem apenas uma carga horária maior de aulas de Inglês não podem ser consideradas bilíngues, mesmo porque não ensinam em Inglês, mas ensinam o Inglês, o que também contraria a definição do que é uma escola bilíngue.

Porém, a maior diferença entre os dois tipos de escola está na cultura predominante. O Brazilian International School, por exemplo, oferece o bilinguismo multicultural. A cultura predominante é a brasileira, mas a escola oferece em suas aulas a identificação cultural positiva com a Inglaterra e os EUA. Mesmo porque a escola oferece aos alunos oportunidades de viagens à Inglaterra no Fundamental II e aos Estados Unidos no Ensino Médio. Isso é o bilinguismo bicultural, ou multicultural. A escola tem uma identificação positiva com duas ou mais culturas.

Na escola internacional, a cultura dominante é a americana ou britânica (dependendo do país de origem do currículo predominante). Essa predominância pode muitas vezes criar um choque cultural em famílias que são típicamente brasileiras. Para aqueles que querem que seus filhos assimilem mais o idioma do que a cultura, a escola bilíngue talvez seja a melhor opção.

Escolas bilíngues como o Brazilian International School proporcionam aos alunos um ambiente multicultural no qual a coexistência de dois idiomas, português e inglês, desenvolve nos alunos, além da proficiência, a habilidade de equacionar os contrastes linguísticos e os diferentes valores culturais, fundamentais para seu futuro pessoal e profissional.

Muitas pessoas acreditam que escolas bilíngues ofereçam apenas o diploma brasileiro, e a internacional apenas o dos EUA, por exemplo. Mas isso não é mais fato. Escolas acreditadas nos EUA, como a Brazilian International School, oferecem o dual-diploma ao final de seu Ensino Médio.

O Brazilian International School prepara bem seus alunos para as aplicações nas faculdades do Brasil ou no exterior, dando assessoria a eles para ambas as situações. Inclusive, seu currículo conta com aulas de Career Planning e Global Perspectives, além de simulados para o ENEM, Vestibular, SAT e ACT.

Independentemente do tipo de escola escolhida pelos pais, esse contato com diferentes culturas proporciona benefícios à criança, não somente preparando-as para a vida profissional, mas criando indivíduos conscientes das diferenças culturais e com uma mentalidade global. O bilinguismo só traz vantagens para aqueles que são beneficiados por essa oportunidade desde a infância, ou até mais tarde em sua vida escolar.

prescindível nos dias de hoje, pois a globalização faz com que se torne algo fundamental. O inglês é a língua internacional, a língua dos estudos, das viagens, dos negócios, a língua da comunicação com pessoas do mundo todo, seja qual for seu país de origem. Tanto social quanto profissionalmente, o domínio de outra língua é considerado um fator importante para a conquista de espaço no mercado de trabalho. Por essa razão, as escolas bilingues e internacionais têm sido cada vez mais procuradas.  

A escolha dos pais pela escola de um filho nunca é fácil. São detalhes demais: localização, valor do investimento, metodologia, filosofia, entre outros. Mas se esse for o caso, como escolher entre uma escola internacional ou bilingue? São muitas as diferenças entre as duas.

Primeiramente, vamos falar de currículo: assim como a BNCC é a base curricular brasileira, cada país tem a sua base curricular. Se falarmos dos Estados Unidos, cada estado tem a sua base curricular, chamada de Common Core State Standards Initiative. As escolas particulares dos Estados Unidos são isentas de usarem o Common Core, mas como os testes para admissão nas faculdades, o SAT (Scholastic Aptitude Test) e o ACT (American College Testing) são influenciados pelo Common Core, elas acabam usando.

As escolas internacionais seguem um currículo internacional, que não abrange exatamente aquilo que é pedido para o ENEM e o Vestibular no Brasil. Mais de 90% das aulas são ministradas na língua inglesa, e em Português são oferecidas a aula da Língua Portuguesa e a aula de Estudos Sociais Brasileiros, e às vezes História do Brasil.

Já na escola bilíngue, adota-se os dois currículos: o internacional e o nacional. Isso quer dizer que os alunos têm algumas disciplinas que são ensinadas nos dois idiomas, por exemplo: os alunos fazem aulas de Matemática e de Math. Nesse caso a escola é bicurricular, com os currículos nacional e internacional acontecendo em paralelo, o que quer dizer que os alunos, em alguns momentos, aprendem em Português a mesma coisa que aprendem em Inglês. Em escolas bilíngues as crianças leem autores brasileiros e internacionais, uma vez que, em geral, no ensino bilíngue o dia é dividido em dois.

Algumas instituições, como a Brazilian International School, oferecem os dois currículos, mas mesmo assim, não é uma escola bicurricular. O Brazilian International School não repete todas as disciplinas, e as que são repetidas, como History e Geography, não ensinam o mesmo conteúdo nos dois currículos. O Brazilian International School é uma escola bilíngue, mas com um alinhamento feito entre os currículos nacional e internacional, que se unem para formar um currículo norteador único.

Na escola internacional, o calendário escolar adotado é o do país do idioma dominante, nesse caso o Inglês, e o ano letivo começa em Agosto de um ano e acaba em Junho do ano seguinte. Na escola bilíngue, o calendário adotado é o brasileiro, com aulas começando em Fevereiro, com término em Dezembro.

Uma outra característica da escola internacional é que seus professores são na grande maioria expatriados, e sua língua nativa é o Inglês. Nas escolas bilíngues os professores são brasileiros, fluentes na língua inglesa, com vivência no exterior, e certificados internacionalmente. Na escola bilíngue a preocupação é que os alunos se tornem proficientes na língua inglesa para que possam se comunicar não apenas com os nativos, mas com todos os que falam inglês como língua franca. O Brazilian International School tem como propósito que seus alunos entendam todo e qualquer sotaque sem nenhuma dificuldade.

Em escolas bilíngues, as atividades extracurriculares, como as voltadas para cultura e esporte, ocorrem em idioma estrangeiro. Pelo menos 40% do tempo de aula deve ser ministrado na língua alvo, nesse caso, Inglês, para que uma escola seja considerada bilíngue por estudiosos como o Canadense Roy Lyster, por exemplo. Sem uma porcentagem de aulas mínima, a imersão no idioma alvo não pode ser caracterizado. Por isso, muitas escolas que oferecem apenas uma carga horária maior de aulas de Inglês não podem ser consideradas bilíngues, mesmo porque não ensinam em Inglês, mas ensinam o Inglês, o que também contraria a definição do que é uma escola bilíngue.

Porém, a maior diferença entre os dois tipos de escola está na cultura predominante. O Brazilian International School, por exemplo, oferece o bilinguismo multicultural. A cultura predominante é a brasileira, mas a escola oferece em suas aulas a identificação cultural positiva com a Inglaterra e os EUA. Mesmo porque a escola oferece aos alunos oportunidades de viagens à Inglaterra no Fundamental II e aos Estados Unidos no Ensino Médio. Isso é o bilinguismo bicultural, ou multicultural. A escola tem uma identificação positiva com duas ou mais culturas.

Na escola internacional, a cultura dominante é a americana ou britânica (dependendo do país de origem do currículo predominante). Essa predominância pode muitas vezes criar um choque cultural em famílias que são típicamente brasileiras. Para aqueles que querem que seus filhos assimilem mais o idioma do que a cultura, a escola bilíngue talvez seja a melhor opção.

Escolas bilíngues como o Brazilian International School proporcionam aos alunos um ambiente multicultural no qual a coexistência de dois idiomas, português e inglês, desenvolve nos alunos, além da proficiência, a habilidade de equacionar os contrastes linguísticos e os diferentes valores culturais, fundamentais para seu futuro pessoal e profissional.

Muitas pessoas acreditam que escolas bilíngues ofereçam apenas o diploma brasileiro, e a internacional apenas o dos EUA, por exemplo. Mas isso não é mais fato. Escolas acreditadas nos EUA, como a Brazilian International School, oferecem o dual-diploma ao final de seu Ensino Médio.

O Brazilian International School prepara bem seus alunos para as aplicações nas faculdades do Brasil ou no exterior, dando assessoria a eles para ambas as situações. Inclusive, seu currículo conta com aulas de Career Planning e Global Perspectives, além de simulados para o ENEM, Vestibular, SAT e ACT.

Independentemente do tipo de escola escolhida pelos pais, esse contato com diferentes culturas proporciona benefícios à criança, não somente preparando-as para a vida profissional, mas criando indivíduos conscientes das diferenças culturais e com uma mentalidade global. O bilinguismo só traz vantagens para aqueles que são beneficiados por essa oportunidade desde a infância, ou até mais tarde em sua vida escolar.